A velocidade invade as ruas

.

Encarado como substituto e superação da natureza (de cavalos e da força humana), o automóvel é um dos símbolos mais importantes do século XX. O automobilismo, em grande medida, é entendido como o exponencial dessa representação simbólica.

Em 1909,  promove-se a primeira prova automobilística do Rio de Janeiro: o Circuito de São Gonçalo. A ideia era realizar a corrida no Alto da Boavista, mas o prefeito à época, Souza Aguiar, com apoio da Câmara Legislativa, proíbe a realização na cidade, levando o Automóvel Clube do Brasil a transferi-la para o município vizinho.

.

.

O autódromo de Jacarepaguá somente seria inaugurado em 1978. Entre os dois eventos, muitas corridas foram realizadas pelas ruas do Rio de Janeiro. Façamos um passeio por essas provas a bordo das fascinantes máquinas velozes.

A primeira imagem é de uma prova de 1925, promovida por ocasião da 1ª Exposição Automobilística do Rio de Janeiro. A pista foi instalada na região que fora construída com o arrasamento do Morro do Castelo, realizado por ocasião das comemorações de 1922. Atrás do público, à direita, temos a Baía de Guanabara.

 .

 

.

De 1935 temos uma bela foto do Circuito da Amendoeira, que se disputava ao redor do Morro da Viúva, numa das regiões mais valorizadas da cidade. No centro da imagem vemos a estátua de Cuauhtémoc, pelo México oferecida ao Brasil por ocasião das celebrações de 1922.

.

Foto do acervo de Paulo Scali, disponível em: http://fotolog.terra.com.br/luizd:212

.

Já o circuito da Gávea, disputado entre 1933 e 1954, com uma interrupção por ocasião da 2ª Grande Guerra, foi uma das mais importantes (se não a mais importante) provas do automobilismo brasileiro. No futuro, retomaremos o tema em um post exclusivo.

.

.

Um breve filme de Adhemar Gonzaga sobre a edição de 1937 do Circuito da Gávea pode ser visto abaixo.

.

.

Até a década de 1950 essa prova reinou absoluta, quando foi proibida por questões de segurança. A partir de então, vários locais da cidade, alguns inclusive inusitados, abrigaram as competições.

Por exemplo, durante alguns anos foi disputado o Circuito do Castelo, no centro da cidade. Na imagem abaixo, relativa à 4ª edição, realizada em 1954, podemos ver alguns dos prédios que ainda hoje se impõe na paisagem daquela região

.

.

Nessa mesma década algumas provas foram realizadas em Botafogo, reunindo grande número de interessados. Abaixo uma imagem de 1956.

.

.

Segundo Luiz D., o Circuito de Botafogo tinha início na Rui Barbosa, seguia pela enseada, passando pela frente do Cinema Guanabara (esquina com Voluntários da Pátria), seguia para a Pasteur, retornando para a Praia de Botafogo, de onde seguia em direção à partida.

.

.

A Quinta da Boa vista também teve seu circuito, como podemos ver na imagem abaixo, da prova de 1957. Segundo informa Luiz D., o piloto do carro que aparece no canto inferior esquerdo é o lendário Juan Manuel Fangio, habituée participante do Circuito da Gávea.

.

.

Da mesma forma, a na época ainda pouco habitada e distante Barra da Tijuca sediou algumas competições, entre as quais os 500 Quilômetros da Guanabara, que podemos ver abaixo numa foto de 1964 (disponível em http://www.fotolog.com.br/tumminelli/8709771). Essa prova reuniu grandes pilotos do automobilismo nacional.

.

.

Até mesmo a Ilha do Fundão, já no seu formato atual, fruto da junção de várias ilhas para receber a cidade universitária, recebeu provas de automobilismo. Ao fundo podemos ver as primeiras construções da atual Universidade Federal do Rio de Janeiro.

.

.

Até a construção do autódromo, destaca-se a forma precária da organização das provas, pelo menos no que se refere à segurança de público e pilotos, verdadeiros aventureiros, portadores da mensagem do progresso e da modernidade.

.

——–xxxxxxxx——–

.

Houve também na cidade corridas de motos, também apreciadas pela população. Vejamos uma imagem de uma prova disputada em 1955 ao redor do Maracanã.

.

.
——–xxxxxxxx——–

.

Os carros fascinam as mais diferentes faixas etárias. Se os adultos têm suas máquinas velozes, as crianças têm seus carrinhos de brinquedo e, para os mais ricos, seus autoramas.

Fascinante é um brinquedo que antes era mais comum entre as crianças mais humildes: o carrinho de rolimã, hoje menos presente no cotidiano das cidades.

.

.

——–xxxxxxxx——–

.

Por motivos profissionais, ficaremos duas semanas sem atualizar nosso blog.

O próximo post será publicado em 24 de setembro – O turfe pela cidade

.

Anúncios

Os comentários estão desativados.

%d blogueiros gostam disto: