Pelos ares!

 

Querida leitora, querido leitor,

Quem saberia me dizer a que se refere e que lugar da cidade está retratado na imagem abaixo (disponível no belíssimo fotolog Saudades do Rio, de Luiz D’)?

 

 

De início, temos que lembrar que a aviação desde os anos iniciais do século XX é considerada um esporte, uma das práticas que encantou o público com o uso de artefatos tecnológicos (como também o ciclismo e o automobilismo), propagando ideais de aventura, atendendo aos desejos de um público ávido por mais velocidade, mais excitação, por peripécias cada vez mais audazes. Mais do que uma modalidade em si, a prática era considerada como um indicador de adoção de um estilo de vida moderno, típico dos sportsman.

Não surpreenderá saber que Alberto Santos Dumont foi um dos pioneiros e o primeiro brasileiro a receber do Comitê Olímpico Internacional um diploma de Mérito Olímpico por sua contribuição ao esporte com a invenção do avião. Dumont, aliás, em sua estada em Paris, no quartel final do século XIX, quando se dedicava a desenvolver “o mais pesado que o ar”, esteve diretamente envolvido como piloto em corridas de automóveis (foi o primeiro brasileiro a trazer um veículo para o país) e de motocicletas.

 

 

Nos dias de hoje, podemos ver essa faceta da aviação como esporte em provas como o Red Bull Air Race, competição mundial que tem uma das suas etapas realizada no Rio de Janeiro. Abaixo uma foto do evento.

 

 

Ao fundo, temos o Pão de Açúcar. Na parte inferior direita, por trás dos 3 cones, vemos as instalações do Iate Clube do Rio de Janeiro, situado onde era a Praia da Saudade.

Esse clube, com o nome de Fluminense Yacht Club, foi fundado em março de 1920, em cerimônia realizada no Fluminense Football Club. Entre as modalidades praticadas, no decorrer do tempo adotou-se a aviação, para a qual se instalou, aproveitando-se os sucessivos aterros realizados na região, um pequeno aeródromo para aviões menores, como o hidroavião da primeira foto.

Vejamos outra imagem do local (disponível em http://fotolog.terra.com.br/luizd:1092).

 

 

Em 1945, a aviação foi proibida na região, para não interferir no funcionamento do Aeroporto Santos Dumont. Com isso, o aeródromo foi fechado, mas o clube está lá aboletado até os dias de hoje, uma das mais descaradas apropriações de um patrimônio público: uma linda praia virou uma agremiação e um estacionamento de barcos para os mais ricos.

Vejamos abaixo uma foto da Praia da Saudade no início do século XX, ainda sem o nefasto clube, tendo ao fundo o Hospital dos Alienados, construído por D. Pedro II no século XIX, hoje sede da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Trata-se de um postal de A. Ribeiro, da coleção de Klerman Wanderley Lopes (disponível em: http://fotolog.terra.com.br/luizd:210).

 

 

Voltaremos ao tema em outros posts.

——–xxxxxx——

Como é de conhecimento geral, nossos principais aeroportos estão em péssimas condições. A solução para tal problema é uma das promessas (e necessidades) que cercam a realização dos Jogos Olímpicos e a Copa do Mundo no Rio de Janeiro. Ao que tudo indica, trata-se de mais um dos muitos compromissos que não serão cumpridos. As coisas vão mal e tudo indica que não vão melhorar…

———xxxxxx—–

Esse citado prédio da UFRJ é aquele que recentemente pegou fogo. O patrimônio histórico da universidade encontra-se em péssimas condições. Enquanto isso, a reitoria tem planos faraônicos de levar todas as unidades para o campus do Fundão. Por ora, promessas, promessas, promessas…

Anúncios

Uma resposta para Pelos ares!

  1. […] de performance foi um dos mais interessantes desdobramentos do fenômeno esportivo (ver post sobre aviação). Duas modalidades devem ser destacadas: o ciclismo e o […]

%d blogueiros gostam disto: